E-commerce D2c

E-commerce D2C: Vantagens para indústrias, importadoras e distribuidores

E-commerce D2C para indústrias | Publicado em 2020

Se hoje em dia a concorrência é enorme e a competição feroz, jamais vivemos numa época com tantas possibilidades no mundo dos negócios, especialmente para quem é proprietário ou gestor de marketing e vendas de uma indústria, importadora ou distribuidora e está atento às transformações tecnológicas, econômicas e sociais que ocorrem globalmente a todo instante em altíssima velocidade.

O sucesso da estratégia D2C é consequência da evolução do comércio eletrônico e da popularização da internet como canal de vendas, por apresentar muitas vantagens em relação ao modelo físico tradicional, tanto para quem vende como para quem compra.
Esta popularização do e-commerce muito se deve a consolidação dos shoppings virtuais no Brasil, também chamados de marketplaces.

LEIA NOSSO ARTIGO SOBRE MARKETPLACES PARA SABER MAIS

A venda direta ao consumidor final está em alta. São muitas as vantagens de se adotar o modelo de e-commerce D2C e veremos nesse post alguns dos principais benefícios de se adotar essa estratégia.

Afinal, o que é e-commerce D2C?

A sigla D2C significa “Direct-to-Consumer” que em português quer dizer direto ao consumidor final. Portanto, e-commerce D2C é a venda online realizada pelas indústrias, marcas, importadores ou distribuidores diretamente para o cliente final sem intermediários, ou seja, suprimindo o varejista do processo.

Para quem compra, esse formato representa encurtar o caminho até o fornecedor, o que pode tornar a experiência de compra mais atrativa, dependendo da visão estratégica de quem irá receber o pedido e entregar o produto, o que será melhor compreendido ao longo da leitura deste artigo.

D2C em crescimento

Em 2018 as vendas diretas online através do e-commerce dos fabricantes de bens de consumo apresentaram alta de 20% em comparação a 2017, o que corresponde a R$ 2,5 bilhões, demonstra um estudo exclusivo da Ebit | Nielsen, apresentado no evento Vtex Day entre os dias 30 e 31 de Maio de 2019.

O destaque foi para o aumento de 2,3 milhões em pedidos efetuados no mesmo período (+ 43%), embora tenha ocorrido retração do ticket médio de R$ 403 para R$ 338, demonstrando a entrada de novos fabricantes no e-commerce, especialmente de produtos de consumo imediato.

A pesquisa revela ainda um enorme potencial de crescimento deste novo formato de vendas sem intermediários para a indústria nacional, já que o faturamento gerado em 2018 correspondeu a apenas 4,8% do total faturado pelo e-commerce brasileiro e que metade dos clientes pesquisa se as marcas fabricantes possuem um e-commerce de venda direta motivados por 3 razões principais: busca por melhores preços (65%), promoções (59%) e confiança/garantia da origem do produto (53%).

D2C: menos é mais

Aqui estamos nos referindo ao fato de que menos intermediários gera a possibilidade de se obter mais controle sobre a comunicação e tudo o que sua marca entrega ao seu cliente final: o consumidor.

Conexão com o cliente final

Vender diretamente ao consumidor final é meio caminho andado até a sua fidelização. Para isso, o mercado disponibiliza uma infinidade de ferramentas para se estreitar ainda mais o relacionamento com seu público.

Para um bom profissional de marketing digital, essas ferramentas, aliadas a estratégias já consolidadas no e-commerce, geram oportunidades incríveis para realização de novas vendas ao mesmo cliente e boas possibilidades de obter um número considerável de recomendações positivas.

Lucratividade

No Brasil, quando o assunto é competitividade e ritmo de crescimento, o principal entrave para as indústrias é a tributação, aponta uma pesquisa recente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Adotando o modelo de venda direta online, além de reduzir custos diretos e indiretos, também há redução da carga tributária quando ocorre a transferência interestadual da mercadoria.

Sem sombra de dúvida, a queda da tributação em cascata possibilita maior rentabilidade neste modelo de operação e a maximização das margens de lucro.

Menor dependência do varejo

Qual fornecedor nunca foi “espremido” pelo comprador do outro lado da mesa?
Não é nada confortável depender de varejistas predadores de sua margem de lucro alegando que o mercado não está bom, que as vendas não estão acontecendo ou que seu produto não está performando bem…

Talvez você tenha um produto ou uma linha que precise escoar mais rapidamente ou então queira apostar, mas nem sempre o revendedor joga junto e não te dá oportunidade, exceto se for uma “galinha morta”.
Se você lembrou de algumas negociações, quantos produtos seus poderiam ter sido sucesso de vendas em determinado canal varejista que os recusou?

Tendo um e-commerce D2C a dependência do varejo diminui, trazendo inúmeros benefícios para o seu negócio.

Inadimplência

Fechar uma venda grande geralmente é motivo para se comemorar, no entanto, alguns varejistas podem atrasar os pagamentos e outros, por diversas razões, podem não lhe pagar!

Até grandes empresas quebram e muitas deixaram de honrar os compromissos com seus fornecedores e, por este motivo, pensar em investir num e-commerce D2C é cuidar da saúde financeira do seu negócio, minimizando os riscos financeiros.

Melhor fluxo de caixa

30, 60, 90, 120… Em quantos dias o varejo paga sua empresa?

No e-commerce D2C é possível vender à prazo e receber à vista e esta é, sem dúvida, uma das principais vantagens desta modalidade de vendas para sua fábrica, marca, importadora ou distribuidora.

PENSANDO EM TER UM E-COMMERCE D2C?
CLIQUE AQUI E VEJA COMO PODEMOS LHE AJUDAR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *